Clique e solicite um Orçamento!
Clique aqui para enviar sua Dúvida!
Clique aqui para indicar esta página...







Hábitos

As aranhas são animais predadores, de vida livre, geralmente solitárias, alimentando-se principalmente de insetos. São principalmente terrestres, existindo aproximadamente 30.000 espécies conhecidas, das quais apenas 20 a 30 são consideradas de importância médica por serem peçonhentas. Têm como inimigos naturais os pássaros, lagartixas, sapos, rãs e outras aranhas, entre outros. As aranhas de maior importância médica em nossa região são a Loxosceles spp (aranha marrom) e a Phoneutria spp (armadeira). As aranhas marrons não são agressivas, vivem sob cascas de árvores, folhas secas de palmeiras e nas residências. Abrigam-se em pilhas de tijolos, telhas e entulhos em geral, adaptam-se facilmente ao ambiente interno domiciliar, alojando-se atrás de móveis, quadros, rodapés soltos, cantos de parede e outros locais que não são limpos com freqüência. Já as armadeiras são aranhas agressivas, tendo esse nome porque colocam-se em posição de ataque com as patas dianteiras para cima quando ameaçadas; vivem próximas a locais onde existam bananeiras.As aranhas de grama (Lycosa spp) vivem em jardins, gramados, pastos e campos, e fogem quando molestadas. As caranguejeiras vivem sob troncos caídos e pedras, em cupinzeiros, junto a raízes de grandes árvores e nos pastos; em geral, em locais afastados do homem. Raramente causam acidentes por causa da posição dos seus ferrões (voltados para trás), embora assustem devido à sua aparência e tamanho. Utilizam como mecanismo de defesa, o bombardeamento de pêlos, que consiste em atritar vigorosamente as patas traseiras no abdômen, espalhando uma nuvem de pêlos com ação irritante em direção ao inimigo. A aranha marrom, a armadeira e caranguejeira tem hábitos noturnos. Já as aranhas de grama são ativas durante o dia e a noite.

Principais Espécies


As aranhas que conhecemos dos beirais de casas, varandas e matas, que fazem teias simétricas ou muito elaboradas, são aranhas sedentárias, ou seja, permanecem num só lugar para caçar. Seu veneno é tão pouco potente, que elas armam suas teias como armadilhas pegajosas para caçar. Algumas fazem e refazem suas teias todos os dias; outras, armam a teia e a utilizam várias vezes, remendando-a, até que tenham de construir outra nova. Todas as aranhas produzem fios de seda por meio deu uma estrutura de seu abdome, composta de glândulas sericígenas e as fiandeiras (muitas vezes confundidas com ferrões). Aquelas que fazem teias vistosas, absolutamente não têm interesse médico, pois seu veneno, como já foi dito, é muito pouco ativo para humanos. As aranhas errantes (aquelas que vão em busca da presa) não fazem teia regular. Limitam-se a produzir fios de seda para forrar o ambiente onde vivem. Nem todas as aranhas que são errantes e não fazem teia regular são de interesse médico; porém, todas as de interesse médico são errantes.




São várias as espécies de aranhas que chamamos de caranguejeiras; porém, apesar de seu grande porte (podem chegar até 30 cm de envergadura), não oferecem perigo quanto ao seu veneno, que é pouco potente. Está relacionada às aranhas de interesse médico porque os pelos que recobrem seu corpo em grande quantidade podem provocar alergias na pessoa que, eventualmente, entre em contato com ela. Esses pelos são liberados pelo animal quando, numa atitude defensiva, raspa as patas traseiras no dorso do abdome, soltando-os e formando uma espécie de "nuvem". Pequenos animais, como cachorros e gatos podem morrer por inalarem tais pelos, que provocarão edema do trato respiratório, matando-os por asfixia. São encontradas em todos os tipos de ambientes: matas, praias, desertos etc. Não são agressivas, procurando fugir no primeiro momento de contato, assumindo uma postura defensiva, se continuar a ser molestada.




Também conhecida como Aranha Lobo ou Tarântula. É ma aranha pequena; chega a aproximadamente 5 cm de envergadura; de hábitos diurnos e que vive muito próximo a residências, como seu primeiro nome sugere, fazendo com que seu contato com o ser humano seja facilitado e a quantidade de acidentes seja maior do que para as outras espécies. Sua coloração é castanho acinzentada e possui uma mancha negra no dorso do abdome, no formato de seta. Costuma carregar, presa ao abdome, na época de reprodução, um saco de ovos (ooteca). Não possui veneno potente, que provoque acidentes graves, podendo a pessoa apresentarmal estar geral, febre e vermelhidão no local da picada. Não existe soro específico para ela.




Dentre todas é considerada a mais agressiva, recebendo este nome, justamente, por enfrentar seu "inimigo", armando um bote, levantando-se nos dois pares traseiros de patas e erguendo os dois pares dianteiros, expondo seus ferrões e saltando sobre sua vítima. Pode chegar a 17 cm de envergadura, conseguindo saltar distâncias de até 40 cm. Não faz teia. Possui coloração que varia do acinzentado ao castanho e apresenta desenhos em pares de folíolos mais claros (parece com um ramo com pequenas folhas) ao longo do dorso do abdome. É feroz, disferindo várias picadas seguidas e injetando veneno em cada uma. Seu veneno é neurotóxico (porém, diferente do veneno dos escorpiões, que também é neurotóxico), provocando dor imediata no local da picada, a qual aumenta de intensidade com o passar dos tempo e se irradia através do membro afetado. A analgesia (injeção de anestésico) se faz sempre necessária, porém a aplicação de soro depende das reações do organismo afetado, podendo ser administrada ou não. O acidente Começa a ser considerado como preocupante, quando a pessoa apresenta, além da dor, sudorese (suores), vômitos, sialorréia (baba) e priapismo (ereção peniana – especialmente em crianças de tenra idade). Torna-se grave, quando estes sintomas são acrescidos de convulsões, coma, insuficiência cardíaca, bradicardia, choque, edema pulmonar agudo e parada cárdio-respiratória. Nos casos de média e alta gravidade é que se faz necessária e obrigatória a soroterapia (soro anti-aracnídico). Muitos acidentes ocorrem ao se calçar os sapatos, pois as armadeiras e outras aranhas se abrigam neles. Acidentes sérios têm acontecido, quando a pessoa vai aplicar a "célebre sapatada" numa armadeira que sobe pelas paredes. Ela salta até 40 cm. Lembre-se disto!!! Acidentes assim, terminam com picadas no rosto, na mão ou no peito. A difundida "vassourada", também, tem sido causa de acidentes nas mãos, devido ao longo salto que ela pode dar.




Dentre todas é a que provoca o pior envenenamento, apesar de seu pequeno porte (não passa de 2,5 cm de envergadura) e de seu temperamento extremamente tímido. Tem coloração castanha e poucos pelos recobrindo o corpo. Possui seis olhos perolados, agrupados de dois em dois na região da cabeça. É extremamente comum dentro de residências; de hábitos noturnos, escondendo-se durante o dia, atrás de quadros, móveis e no meio de roupas usadas, principalmente nos lugares mais suados e com odor mais forte, como axilas e virilha. Não faz teia, mas forra seu abrigo com um tapete pegajoso de seda. O acidente sempre ocorre da mesma maneira, quando a pessoa veste a roupa, com o animal dentro, comprimindo-o contra o corpo. Seu veneno é extremamente potente, sendo anestésico, hemolítico (destrói as células sangüíneas) e proteolítico (destrói os tecidos, causando necrose). O fato do veneno ser anestésico faz com que a pessoa não sinta a picada, procurando o médico somente após alguns dias, quando os sintomas já estão bastante adiantados. É a única aranha que, causando acidente, vai requerer, obrigatoriamente um tratamento soroterápico, independente da condição de saúde da pessoa ou de sua idade. O soro utilizado é preferencialmente o anti-loxocélico; ou, então, o anti-aracnídico na falta daquele.


Inicialmente aparece um eritema com edema duro no local da picada (vermelhidão com uma placa dura de 1 a 2 cm de diâmetro. A região da picada fica avermelhada, com aspecto marmóreo. Acompanham estes primeiros sinais: febre e exantema. Dias depois abre-se, no local da picada, uma fenda de difícil cicatrização e que pode evoluir para necrose da área. Podem aparecer, ainda: anemia aguda (diminuição de glóbulos vermelhos), icterícia (corpo com pele amarelada) e hemoglobinúria (urina escura, podendo chegar à cor de café expresso concentrado, por destruição de células sangüíneas = hemólise). Pode, por este motivo, evoluir para insuficiência renal aguda, principal causa de morte provocada por este tipo de acidente.


Neste tipo de acidente a soroterapia é sempre indicada. A soroterapia neutraliza o veneno ainda circulante no organismo; porém, o local lesado (ferida) pode evoluir (piorar), pois o soro não age no local da picada. Em muitos casos há necessidade de se recorrer à cirurgia plástica para reconstruir o local lesado.




As Viúvas Negras fazem teia irregular. São aracnídeos que podem viver aglomeradas em grupos, porém não são aranhas sociais. Havendo falta de alimentos, pode ocorrer canibalismo (alimentam-se de membros da mesma espécie). Seu nome é originado do fato de o macho ser muitas vezes menor do que a fêmea e, na época de acasalamento, ele ter de ser muito veloz na cópula, pois se a fêmea o percebe por baixo de seu corpo, ele é invariavelmente ingerido como alimento. No Brasil estas aranhas não são totalmente negras, mas vermelhas e negras; o que lhes deu o gracioso apelido futebolístico de "flamenguinhas". Geralmente, seu veneno é extremamente potente e mortal. Porém, a espécie brasileira não oferece perigo aos seres humanos; tanto que não se produz soro, no Brasil, para este tipo de acidente. O último acidente grave com esta aranha ocorreu há muitas décadas. Havendo necessidade, pode-se importar o soro anti-latrodectus fabricado na Argentina e na Venezuela.




Ciclo de Vida

Após o acasalamento entre macho e fêmea, a aranha põe ovos, muitas vezes em grandes quantidades (mais de 1.000 em uma única postura), que ficam protegidos numa bolsa de fios de seda chamada ovisaco.

Em geral, as aranhas cuidam da ovisaco e algumas como a Lycosa spp, carregam os filhotes recém-eclodidos nas costas até a primeira muda de carapaça (o crescimento é feito através de sucessivas trocas de carapaças).

Há muita variação quanto ao tempo de vida, de alguns meses a vários anos.




Agravos à saúde

As aranhas são animais peçonhentos, injetando veneno por meio de um par de ferrões conectados à glândulas produtoras de peçonha, que se encontram em suas peças bucais. A gravidade do envenenamento varia de acordo com o local da picada e a sensibilidade individual, sendo indicado procurar assistência médica em caso de acidente.

Os acidentes com a aranha marrom geralmente ocorrem no verão, em ambiente domiciliar, quando a aranha, escondida em uma vestimenta ou toalha, é prensada contra a pele da vítima ou enquanto esta dorme.

Já os acidentes com aranhas armadeiras ocorrem, em geral, quando manipula-se frutas ou no ato de calçar os sapatos, local onde estas aranhas podem se abrigar. As aranhas de grama picam ao serem pisadas ou quando impossibilitadas de fugir.




Medidas preventivas

  • Manter limpos quintais, jardins, sótãos, garagens e depósitos, evitando acúmulo de folhas secas, lixo e demais materiais como entulho, telhas, tijolos, madeiras e lenha;
  • Ao manusear materiais de construção, usar luvas de raspa de couro e calçados;
  • Rebocar paredes e muros para que não apresentem vãos e frestas;
  • Vedar soleiras de portas com rolos de areia;
  • Usar telas em ralos do chão, pias ou tanques;
  • Acondicionar o lixo em recipientes fechados para evitar baratas e outros insetos, que servem de alimento às aranhas;
  • Realizar roçagem de terrenos;
  • Manter berços e camas afastados das paredes;
  • Examinar calçados, roupas e toalhas antes de usá-los.



AQUI SEU LAR ESTÁ EM BOAS MÃOS - (19) 3384-5400
AQUI SEU LAR ESTÁ EM BOAS MÃOS - (19) 3384-5400